2

1994 lança coleção em parceria com artista visual norte-americano Ian Ferguson

O evento aconteceu no atelier da 1994, no Centro Histórico, e marcou o lançamento da coleção Victorian Era, uma parceria do artista e da marca curitibana de roupas.


Ontem,
Dia 24 de abril, foi aberta a exposição Muito Bonito, do artista norte-americano Ian Ferguson. O evento aconteceu no atelier da 1994, no Centro Histórico, e marcou o lançamento da coleção Victorian Era, uma parceria do artista e da marca curitibana de roupas.

1994 – Victorian Era

Entre as peças, camisetas, blusas e calças de moletom, vestidos em neoprene, casacos e outras surpresas. Se por um lado as peças têm uma pegada bem street, por outro, as estampas serão repletas de detalhes, de referências a este período do Reino Unido liderado pela Rainha Vitória (1837 a 1901), com motivos neogóticos.

1994 – Ian Ferguson

Ian, que assina como Hydeon, veio ao Brasil pela primeira vez para participar do lançamento. E criou uma das obras diretamente na parede do atelier.

A parceria entre Ian e a 1994 é um desses encontros que as redes sociais proporcionam. A estilista da marca, Edna Machado, é uma seguidora do trabalho de Ian e ele acabou tomando contato com posts dela com peças da marca. “Eu estava muito curioso sobre as blusas de moletom que ela estava fazendo e ofereci uma obra minha em troca de uma blusa. Depois disso, começamos gradualmente a colaborar em projetos de roupas usando meu trabalho. Tem sido uma experiência realmente divertida e positiva”, conta ele.

São de Ian as ilustrações das camisetas e moletons que a 1994 criou para o Museu Oscar Niemeyer e que estão à venda na loja do MON e no atelier/showroom da marca.

O artista se diz fascinado pela história e vestuário do velho mundo e por roupas da era da Guerra Civil Americana, dos anos 1800. A parceria com a 1994, porém, é o seu primeiro contato com o mercado da moda. “Sempre comprei roupas em brechós e lojas de camping. Eu sempre gostei de design e estou aprendendo sobre o mercado de moda com a 1994”, diz Ian, que revela a vontade de conhecer artistas brasileiros.

Sobre o nome da exposição, Ian acredita que o termo soe melhor em português do que no inglês ao mesmo tempo em que se conecta com o conceito da mostra.  “Em inglês ‘muito bonito’ significa ‘very pretty’. Gosto de como soa em português. Parece romântico e elegante. Eu senti a frase como que conectada com os desenhos que eu tenho feito.”